terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A HIPOCRISIA DA IGREJA



          Existe uma coisa, dentro da igreja, que me incomoda bastante. Nós temos uma facilidade enorme em apontar o dedo para o pecado dos outros, mas, na mesma proporção ou maior, temos grande dificuldade em olhar e reconhecer os nossos próprios erros.

         E por que reparas, tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?
         Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
         Hipócrita, tira, primeiro, a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.
Mateus 7:3-5

O texto de Mateus é o tipo de texto que não necessita de uma interpretação exegética ou de qualquer outra. Basta lermos que a sua mensagem chega imediatamente ao nosso entendimento e coração. E, como se fala, vamos combinar? Não é exatamente isso que acontece hoje dentro da igreja?
Eu já ouvi, e tenho certeza de que você também, um ou outro amado, aquém darei o nome fictício de Vanderaldo dizer:
“Eu não tenho vício nenhum. Eu não bebo, não fumo e nem jogo!!!”
Mas, o mesmo Vanderaldo que, com o peito estufado, declarou estas coisas, em um momento posterior  disse:
“Olha lá aquele irmão, eu acho um absurdo ele frequentar a nossa igreja. Outro dia eu o vi com um cigarro na mão. Tá na cara que esse cara não se converteu coisa nenhuma!!!”
Não sei se você concorda comigo, mas absurdo é ouvirmos este tipo de crítica da boca de alguém que se julga um cristão. Porque este mesmo Vanderaldo, por sua vez, não perde um capítulo sequer da novela das oito, e, quando  ela está por terminar, ele já está comentando a que vai entrar no lugar:
“Parece que a que vai entrar no lugar desta será muito boa. Sabe quem vai ser o ator principal? O Tony Ramos, e ele vai contracenar com a Glória Pires. Eles são ótimos, né??? Não vejo a hora de começar!!!”
Você pode pensar que a história do tal “Vanderaldo”, que citei no exemplo acima, é apenas algo fictício, mas para surpresa sua, o Vanderaldo, na verdade, representa milhares de milhares de crentes nos dias de hoje.
Parece que quando começamos a frequentar uma igreja já não somos mais passíveis de errar. É claro que o Senhor Jesus, se fizemos a confissão dos nossos pecados, nos perdoou e nos purificou de toda a injustiça que cometemos antes de fazermos uma aliança com Ele. Mas não podemos esquecer o que diz a palavra de Deus.

         Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.
         Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.

I João 1:8,10

Há um texto na palavra de Deus que é tão simples e claro, quanto o de Mateus.

         Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.
I Corintios 10:23

Se partirmos somente deste princípio, acharemos uma lista enorme de coisas que fazemos que não edificam nada. Nem a nós e nem a ninguém.
Mas o apóstolo Paulo, antes de escrever este texto à igreja de Corinto, já havia escrito outro semelhante:

         Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.
I Corintios 6:12

Agora a coisa complicou. Porque quando Paulo diz: “...mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”, ele está incluindo tudo aquilo que você e eu fazemos diariamente e não passamos um dia sem fazê-lo. Quer exemplos? Então vamos a eles.
Você gosta de um cafezinho? Você tem ideia de quantos cafezinhos por dia alguns crentes tomam? Então, sugira a um deles fazer um jejum de café por uma semana e veja qual a resposta que ele lhe dará.
Vamos a outro. Que tal um refrigerante bem geladinho num dia quente de verão?
Ah, pastor, pega leve! Qual o problema de tomar um refrigerante geladinho num dia de calor?
Com certeza nenhum, eu mesmo já tomei várias vezes. Mas o que estamos tratando aqui é de... não ser dominado por nenhuma delas... lembra-se?
E que tal se este refrigerante também fizer parte do café da manhã, do almoço, do lanche da tarde, do jantar, da ceia antes de dormir? Eu conheço um crente que toma dois litros de refrigerante no almoço e dois litros no jantar.
Mas a lista é grande. Poderíamos falar de futebol, trabalho, filhos, marido, esposa, calçados, roupas, maledicência, inveja, ciúmes e muitas outras coisas que nos prendem como se fossem pesadas correntes de ferro.

Só quero citar mais uma, que é bíblica, e que, se não em todas as igrejas, em uma grande maioria é praticado.
Você já ouviu o “ditado” que diz que crente não bebe, mas cooomeeee???
Pois é... Se atentarmos apenas para esse ponto, veremos que muitos de nós cometem o pecado da glutonaria diante do nosso Deus e nem nos incomodamos com isso.
Veja o que diz a palavra:

         Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, ... , bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
Gálatas 5:19-21

Quero chamar a sua atenção apenas para a última parte do texto:

...os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.

Quando é que paramos para pensar nisto, antes de comermos vinte pedaços de pizza, no rodízio? Ou então, antes de comermos carnes e mais carnes, numa churrascaria, até chegarmos ao ponto de ter de sentar, de tão pesados que estamos, para não falar do estado em que nos encontramos, ou seja, passando mal de tanto comer.
Perdoem a palavra forte, mas não há outra a ser dita neste momento. Temos sido hipócritas.
Na carta de Pedro lemos:

         Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.
I Pedro 1:16

O que você pensa? Será que você acha que santidade passa apenas pela questão do sexo? Santidade é viver separado para Deus. Separado para agradar a Deus. Buscando fazer apenas aquilo que agrada ao Senhor.
Eu critico o meu irmão em Cristo, que não é da minha denominação (religião), por quem Jesus também derramou o seu sangue e morreu, apenas porque ele bate palmas no culto. Ou então porque ele vai à igreja de bermudas. Ou ainda, porque ele usa um brinco em uma das orelhas, ou, (também existe isso... pasmem) porque ele grita “Aleluia!!!” dentro do templo na hora do culto.
Mas também o critico porque, sendo ele novo na fé, acha que pode ser usado por Deus para me dar alguma palavra. No entanto, na hora do louvor eu canto bem alto:

...meu irmão, tu és importante para mim, pois através de ti, Deus pode falar comigo...

HIPÓCRITAS!!!

Sabe de uma coisa? Esse assunto dá pra encher mais de vinte páginas e eu ainda estou na sexta, então é melhor parar por aqui.
A única coisa que me lembro, quando presencio todas essas coisas e muitas outras dentro do corpo de Cristo, é uma palavra do Senhor Jesus, que, para mim, joga por terra toda esta baboseira que vimos até aqui.

         Todo o que o Pai me dá virá a mim; e todo aquele que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.
João 6:37

Tudo, realmente, me é permitido fazer, mas eu preciso discernir o que é relevante, edifica e não tem poder de domínio sobre mim.
Amor... Esta é a única coisa que deve, ou pelo menos, deveria me dominar. Se assim fosse, a igreja, com certeza, seria um lugar de refúgio, cura, restauração e libertação e não um lugar, como infelizmente algumas têm se tornado, de tantas contradições.
Que o Senhor tenha misericórdia de nós, nos perdoe e nos conduza ao arrependimento.
Em Cristo
Roberto Caputo

Nenhum comentário:

Postar um comentário